segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Atlover-Kan

Eu sou filho da noite que se ocultou.

Parte negra do filho do eclipse,

Do filho do eclipse, fui eu quem enganou.

O ethar conhecedor da mágica helípse

Da espada Zasgilian restaurada me atribui.

Das inteligências eu fiz a magia.

Dragões, reinos da terra e mar destruí

Roubando de mestres a sabedoria.

Eu sou aquele escolhido do destino

Pra coroa da revolta me escolher,

Pois que fui gênio desde menino,

Para todos mestres submeter.

Eu sou quem viu o desvelar dos horizontes.

Fui guerra, terror, fui sábio mais profundo.

Matei a serpente maior que os montes.

Mudei a forma do mundo.

Platosfera toda como um deus me aclama.

No Hades nunca hão de me lançar.

Eu sou o pai da atmosférica chama.

E até os deuses pude chantagear.

Sou filho da Érmia, ancestral terra

E do sangue mágico a sabedoria me pariu.

Fui dono do solo, do mar e senhor de guerra,

Filho do maior sábio que existiu.

Eu sou aquele que o sangue tem,

Do primeiro titã que nasceu.

Sou o imortal que os deuses excluem

Senhor da magia genuíno sou eu!